os Varroa destructor de inverno são menos fecundos que os de verão

No seguimento desta publicação, traduzo em baixo o sumário de um estudo que revela um conjunto de dados com muito interesse para a compreensão da questão que coloquei: qual a razão para as aparentes diferenças na resposta aos tratamentos entre as gerações de varroas que surgem no inverno quando comparadas com as gerações de verão. Os dados deste estudo revelam que a fecundidade e fertilidade dos ácaros é mais baixa no inverno que no verão. No seguimento deste estudo, valeria a pena dar-lhe continuidade com o intuito de tentar perceber melhor os mecanismos subjacentes e intervenientes na maior mortalidade dos ácaros macho no inverno e, posteriormente, verificar se é possível replicar esses mecanismos, por algum tipo de maneio exequível em campo, com vista à sua utilização durante o verão pelos apicultores.

Antes da tradução do sumário, julgo que será pedagógico re-lembrar esquematica e sumariamente o ciclo reprodutivo do varroa.

Os varroas mãe colocam o primeiro ovo aproximadamente 70 horas após a operculação do alvéolo onde está a larva de abelha hospedeira. Este ovo não é fertilizado e dá origem a um macho, enquanto os três a quatro ovos subsequentes, que são postos com intervalos de aproximadamente 30 horas, dão origem a fêmeas filha que serão fecundadas pelo ácaro macho seu irmão. Estas descendentes fêmeas fecundadas e férteis emergem do opérculo com as novas abelhas dando continuidade ao ciclo de vida destes parasitas.

Título: Reprodução do Varroa destructor durante o inverno nas colónias de Apis mellifera no Reino Unido

Sumário: “O ciclo reprodutivo do Varroa destructor inicia-se com a invasão dos alvéolos com larvas de abelha durante os meses de inverno (janeiro a meados de março) e foi investigado em quatro colónias de Apis mellifera no Reino Unido. O número de descendentes viáveis ​​produzidos durante o ciclo reprodutivo, por ácaro, foi de apenas 0,5 durante o inverno em comparação com 1,0 durante o verão. Isso deveu-se principalmente a um grande aumento na população de ácaros inférteis (inverno 20%, verão 8%). Esse aumento pode ser explicado pelo alto nível de mortalidade de filhos machos observada no inverno (42% no inverno contra 18% no verão), o que resulta em quase metade dos ácaros fêmeas recém-criados não fecundados. Uma vez que os ácaros mãe põem um número semelhante de ovos no inverno (X = 4,7) e no verão (X = 4,9), e o nível de mortalidade sofrido pela descendência feminina é semelhante no inverno (7%) e no verão (6% ), provavelmente não é o estado fisiológico do hospedeiro que causa o alto nível de não fecundação no inverno, como se suspeitava anteriormente.

fonte: https://www.researchgate.net/publication/11746259_Varroa_destructor_reproduction_during_the_winter_in_Apis_mellifera_colonies_in_UK

2 comentários em “os Varroa destructor de inverno são menos fecundos que os de verão”

    1. Bom dia, José! Sim, impedindo a fecundação das novas varroas fêmeas através de exterminação dos machos e o problema da varroa ficava resolvido em poucos meses. Mas não será nada fácil. As varroas macho nascem e fecundam as suas irmãs no interior dos alvéolos, protegidos pelos opérculos de cera e, inclusivamente, morrem de seguida ainda no interior do alvéolo. O único acaricida que conheço que tem algum efeito sobre os varroas nesta fase reprodutiva é o ácido fórmico. Os resultados, como sabemos, não têm sido suficientes para os eliminar na totalidade. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.