tratamento da varroose neste verão

Entre as 6h00 e as 7h15 de hoje andei ocupado a colocar o medicamento acaricida que escolhi para o verão deste ano, isto nas colónias Lusitanas do apiário a 600 m onde concluí a cresta anteontem.

Para este tratamento de verão estou a utilizar pela primeira vez o Amicel, decisão que referi em março nesta publicação. Espero, com a mudança das tiras de plástico do Apivar para as tiras de cartão do Amicel, obter resultados melhores nesta época do ano em que o crescimento das taxas de infestação nas abelhas adultas e na criação de abelhas é rapidíssimo — por via da diminuição da população de abelhas e criação, em particular a de zângãos.

Deixo em baixo o foto-filme dos principais procedimentos de preparação e aplicação do Amicel, que ilustram alguns cuidados que considero relevantes para seguir com o maior rigor possível o protocolo definido pelo fabricante.

O recipiente com 1 l de acaricida; as tiras de cartão; a seringa doseadora.
10 ml de solução a aplicar por tira de cartão. Esta dose contém 250 mg de amitraz, metade da quantidade de amitraz presente em cada tira de Apivar.
De acordo com o protocolo do fabricante preparei as tiras cerca de 12 horas antes de as aplicar nas colmeias. Nestas 12 horas estiveram sobre esta rede metálica para escorrer algum excesso de líquido — obrigado Pires Veiga pelas redes de metal.
O protocolo define a colocação de uma tira por colónia durante 12 dias e após este período colocar uma segunda tira. O fabricante pretende que o tratamento cubra um período de 24 dias, para abranger também o tempo de criação dos zângãos.
A tira de cartão com o acaricida foi dobrada a meio sobre o travessão superior do quadro central do ninho. Os acaricidas de contacto, como este e outros, querem-se bem centrados no ninho em contacto muito próximo com as zonas onde há criação.

12 comentários em “tratamento da varroose neste verão”

  1. Boa tarde, por favor onde consegue comprar o amitraz? Já o procuro à bastante à tempo e não o encontro. Obrigado

    1. Adriano, neste caso do Amicel, sendo um tratamento homologado, adquiri-o através do Programa Apícola Nacional junto da minha Associação de apicultores. Se procura amitraz e não uma solução com amitraz não encontrará. O amitraz só está disponível para a industria. Se procura Citraz, uma solução com amitraz, para fazer tiras caseiras acho que terá que pedir a alguém que o trago do estrangeiro porque em Portugal deixou de se vender há uns anos, tanto quanto sei.

  2. Tendo o amicel só metade da dose do apivar como refere não tem receio que a eficácia também seja fraca?
    Boa continuação e boas abelhas

    1. Obrigado Horácio! Questão pertinente a que faz. O receio está sempre presente quando se trata de medicamentos para a varroose. Nunca confiar demasiado! A galénica do Amicel é diferente do Apivar ou Apitraz, são tiras de cartão que serão mastigadas e destroçadas pelas abelhas aumentando a sua dispersão. Esta maior dispersão e contacto das abelhas com as partículas de cartão impregnadas com a solução dá-me alguma esperança que, mesmo com metade da quantidade amitraz da presente no Apivar ou no Apitraz, seja mais eficaz. Mas nunca confiando… pretendo manter as colónias debaixo de observação regular, como faço habitualmente.

  3. Boa tarde
    Sei que a pergunta não está diretamente relacinada com o tópico, mas….
    Iniciei a apicultura como hobby e li no site do da dgav, no plano de luta contra a vorroose, que devia fazer 2 tratamentos por ano… mas todos os tratamentos inplicam prescrição médica.
    A minha questão é: Como é que se procede para obter a referida “receita”. É necessário contactar um avetrinário para ir ver as colmeias?

    1. Boa tarde Horácio. Se não consegue obter os medicamentos através de uma Associação de apicultores, deve solicitar uma receita a um veterinário. Não creio que o veterinário faça questão de ver as colmeias.

  4. A desvantagem é que elas em 2 ou 3 dias roem a tira…E depois o amitraz continua durante os restantes dias dentro da colmeia???

    1. Eduardo Cardoso é uma questão para a qual não tenho resposta. Importa-me estar atento, avaliar o decurso dos acontecimentos e fazer as avaliações no final. Para já ainda é cedo para estar com conjecturas acerca de um medicamento que utilizo pela primeira vez.

    1. Olá, Jorge! Pelo que observei aquando da colocação da segunda tira, 12 dias depois desta publicação, fiquei com boa impressão. Espero confirmar essa boa impressão dentro de duas semanas. Depois farei uma publicação mais conclusiva e mais detalhada acerca do que observei nas minhas colónias. Abraço.

  5. Olá Eduardo.
    Aguardamos então os resultados.

    Ontem, durante a inspeção, não vi varroas, mas vi duas abelhitas com as asas deformadas.
    As restantes abelhas estavam brilhante e saudáveis.
    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.