associação dos apicultores profissionais de Portugal: a propósito

Ontem, dia 16 de Dezembro, reuniu-se em Castelo Branco um grupo de apicultores profissionais com o intuito de darem os primeiros passos no sentido de fundarem a Associação dos Apicultores Profissionais de Portugal (AAPP).

Justifica-se uma associação que represente e expresse as vontades, os anseios, os interesses de um grupo profissional? Na minha opinião, obviamente que sim. O vazio que até agora existiu é que se torna de difícil compreensão.

Mas o que é ou o que define um apicultor profissional em Portugal? Resposta de difícil consenso dada a relativa diversidade de perfis existente na população de apicultores profissionais no nosso país. Socorrendo-me da definição aqui apresentada no âmbito do Plano Apícola Nacional 2017-2019, os apicultores que detêm um efetivo superior a 150 colmeias consideram-se apicultores profissionais.

Ainda no mesmo Plano, com dados de 2015, ficamos a saber a propósito do sector profissional da apicultura nacional:

  • representa 10% do número de apicultores existentes no território nacional (ilhas e continente) e 59% do efetivo total de colmeias;
  • apresentou uma produtividade média de 22 Kg por colmeia, com um acréscimo de produtividade de 50% em transumância (33 kg por colmeia);
  • apicultores com uma dimensão média de 346 colmeias, apresentam um custo total de 68,51€ e 100,81€ por colmeia, sem e com transumância respectivamente;
  • o Valor Bruto da Produção médio para apicultores com uma dimensão média de 346 colmeias é de 118,74 €/colmeia;
  • o Valor Bruto da Produção total dos apicultores profissionais foi de 43 milhões e 649 mil euros.

A propósito destes números proponho algumas linhas de reflexão e consciencialização acerca de algumas das externalidades* positivas do sector apícola profissional nacional:

  • contributo para a não extinção das abelhas em território nacional;
  • contributo para a polinização da flora nacional;
  • contributo para produção em massa e a preços razoáveis de uma série de produtos de origem vegetal que tão valorizados são na nossa dieta (ver mais aqui);
  • contributo para a economia local, regional e nacional;
  • contributo para a mitigação do despovoamento em determinadas regiões do país.

Fig. 1: João Tomé (apicultor profissional) a preparar a transumância de colmeias.

*externalidade= traduz uma situação em que a tomada de decisões de produção ou consumo por parte de determinados agentes económicos          se reflete na ocorrência de custos ou benefícios para outros agentes que          não estiveram envolvidos nessas atividades.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *