o fracasso dos programas de seleção para a resistência ao ácaro varroa

Randy Oliver escreveu recentemente no Bee-L acerca dos progressos, lentos, e dos obstáculos inesperados e inexplicados com que o seu programa para seleccionar e propagar linhas de abelhas resistentes ao ácaro varroa se está a confrontar. Atentem ao elevado número de lavagens de abelhas que são realizadas, em todas ou quase todas as colónias, para monitorar o nível de resistência de cada. Este caso de progressão lenta ilustra bem o relativo fracasso de tantos e tantos programas levados a cabo nestas duas últimas décadas para seleccionar, preservar e massificar linhas de abelhas resistentes ao varroa, e isto apesar de todo o investimento feito. Realisticamente, uma solução simples e rápida, que possa ser passada de apicultor em apicultor, de apiário em apiário, de território em território está longe de ser encontrada, é um objectivo ainda longínquo, mas o sonho permanece… sempre!

Dois pequenos vídeos com Randy Oliver a exemplificar como fazer no apiário uma lavagem de abelhas com álcool para determinar o nível de infestação nas abelhas adultas.

(Randy Oliver escreve:) Este tópico está muito na minha mente, já que estamos a meio de nossa primeira rodada de lavagem de ácaros nesta temporada para identificar quais são as colónias, com novas rainhas filhas de colónias resistentes. Estamos a realizar entre 1000 e 1500 lavagens de ácaros para selecionar as criadoras com potencial, que então serão submetidas a lavagens uma vez cada mês para confirmar [a resistência].

Já fazemos isso desde 2017, substituindo todas as nossas rainhas a cada ano
apenas com rainhas filhas de mães de colónias rigorosamente comprovadas
como resistentes aos ácaros. O que aprendi é que existe uma falta frustrante
de herdabilidade. Só porque a colónia mãe era completamente à prova de ácaros, não significa que as filhas da rainha daquela colónia resistente irão liderar colónias resistentes.

Estamos progredindo e, ao longo dos anos, passámos de menos de 1%
de colónias exibindo resistência para mais de 7%, mas longe de 95%. E
isto [acontece] com um programa de seleção rigoroso de acasalamentos amplamente controlado. Neste verão, planeamos realizar acasalamentos em alguns locais de grande altitude, onde não há zângãos externos.

Estou surpreso, depois de criarmos facilmente abelhas com esta ou aquela cor, temperamento, comportamento higiénico, ou resistência do ácaro da traqueia, com o quão difícil é preservar o traço resistência à varroa.

Randy Oliver
Grass Valley, CA
530 277 4450
ScientificBeekeeping.com

Nota: sobre os avanços e perspectivas na seleção de características de resistência ao ácaro Varroa destructor em abelhas melíferas ver também aqui.

3 comentários em “o fracasso dos programas de seleção para a resistência ao ácaro varroa”

  1. Obrigado pela partilha de conhecimento, tenho aprendido imenso com a sua experiência. Não sou apicultor mas sou um apaixonado pela apicultura e parabéns pela disponibilidade em partilhar a sua sabedoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.