o efeito da alimentação/ingestão de xarope de açúcar em colónias de abelhas

Só tenho acesso ao sumário do estudo, e desconheço qual a proporção de açúcar em relação à água presente no xarope mais concentrado e no xarope menos concentrado. Achei particularmente interessante os pontos 4 e 5 deste artigo de 1961, porque me parece confirmam as minhas observações e reflexões. Nos meus apiários tenho verificado que as colónias que alimento com pasta de açúcar aparentam ter mais área de criação à saída do inverno (fevereiro e março) do que as colónias que não alimento ou alimento menos frequentemente. E para o explicar já tinha colocado a hipótese que isso se deveria ao facto das colónias alimentadas a pasta poderem disponibilizar mais abelhas para a colecta de pólen. Assim sendo, estas colónias estarão em condições de fornecer uma dieta mais adequada tanto às abelhas amas como às larvas em desenvolvimento, porque têm acesso a uma maior quantidade e diversidade de aminoácidos.

  1. “As colónias de abelhas foram alimentadas com xarope de açúcar concentrado ou diluído, ou permaneceram não alimentadas, na primavera, verão e outono de 1958 e 1959.
  2. O xarope mais concentrado foi mais aceite que o diluído em todos os grupos experimentais, mas a desproporção de aceitação de xarope concentrado para o diluído diminuiu ao longo dos dois anos.
  3. A concentração do xarope fornecido não fez diferença aparente no ganho de peso das colónias, provavelmente porque a maior eficiência no armazenamento de xarope concentrado foi compensada pela diminuição no forrageamento produzido nas colónias assim alimentadas.
  4. A alimentação de xarope diluído ou concentrado aumentou a área de criação durante e após a alimentação num ano (mau tempo), mas não teve efeito na área de criação no outro ano (bom tempo).
  5. Enquanto eram alimentadas, as colónias geralmente colectavam mais pólen do que as não alimentadas.
  6. A alimentação de qualquer concentração de xarope provavelmente diminuiu a coleta de néctar quando as condições de forrageamento eram boas e o xarope concentrado pode ter diminuído mais do que o xarope diluído o comportamento de forrageamento.”

fonte: https://www.cambridge.org/core/journals/journal-of-agricultural-science/article/effect-of-feeding-sugar-syrup-to-honeybee-colonies/4A944C6F558D3DB78C3801A03D33AD83

5 comentários em “o efeito da alimentação/ingestão de xarope de açúcar em colónias de abelhas”

  1. Boas! Eduardo as pastas encurtam a longevidade da vida das abelhas em comparação com o açucar! Foi feito uma experiencia com varias pastas que existem no mercado e as que foram alimentadas com pasta duram menos cerca de 10 dias em relação as que foram alimentadas com xarope de açucar!

    1. Olá Eduardo. Creio que te estás a referir ao estudo do IPB. Sim, algumas pastas, segundo esse estudo encurtaram o tempo de vida das abelhas em laboratório, ao que ouvi e entendi. Creio que desses ensaios concluíram que nem todas as pastas têm o mesmo efeito negativo. Julgo que não apresentaram os dados do estudo de campo, não sei por que razão. Mas os dados dos estudos de laboratório dão alguns indicadores preocupantes. Pena não se ter indicado nem que fosse apenas a melhor. Sei que uma pasta passou com distinção, mas não vou anunciar publicamente a marca, porque me foi pedido para o não fazer por quem me deu a informação, e não me cabe a mim publicá-la. E sim, talvez o melhor mesmo seja água misturada com açúcar branco. Abraço.

      1. Não é esse!
        Foi feita uma experiência na UTAD pelo professor Paulo Russo Almeida! Basicamente foi feito um lote de abelhas, bem misturadas e divididas pela mesma quantidade por varias gaiolas! Todas as gaiolas tiveram o mesmo tratamento a mesma temperatura etc…
        Diferença foi na alimentação, todas as que foram alimentadas com pasta morreram muito mais cedo…enquanto que as que foram alimentadas com xarope de açucar registiram muitos mais dias…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.