a regra não menos de 8

Nesta época do ano, e no território onde se situam os meus apiários, as principais florações nectaríferas têm um período relativamente curto. A da marcavala dura aproximadamente 2 a 3 semanas e a do castanheiro sensivelmente o mesmo. Por esta razão as colónias devem estar muito bem povoadas para aproveitarem estes fluxos intensos mas de curta duração.

Tendo já passado o período crítico da enxameação reprodutiva, deixo de seguir a regra não mais de 6, para passar a seguir a regra não menos de 8 quadros de criação no ninho. Para a alcançar utilizo cada vez mais aqueles núcleos com enxames que foram feitos na primeira ou segunda semana de maio. Servem-me de fonte para aí retirar quadros com áreas extensas de criação operculada que são de imediato colocados em colmeias dedicadas à produção de mel.

Núcleo que doou um quadro com criação operculada e recebeu um quadro com cera laminada.
Colónia em produção que recebeu o quadro com criação operculada.
De forma cada vez mais sistemática os meus apiários são formados com colónias dedicadas à produção de mel, núcleos e colmeias armazém.
Formação de uma colmeia armazém. Os quadros de cera laminada irão sendo colocados gradualmente nos núcleos à velocidade a que estes forem chamados a doar quadros repletos de criação a emergir. As colónias armazém que formo nesta altura do ano receberão os quadros bloqueados ou semi-bloqueados com pólen e mel.
Nesta colónia dedicada à produção de mel o quadro da esquerda foi substituído pelo da direita.
Nos núcleos doadores — que estou a palmerizar — decidi pela primeira vez avançar já com o tratamento contra a varroose. Como não vão produzir mel, pretendo que os quadros com criação levem o menor numero possível de varroas para as colónias em produção que os vão receber.
Colónias Langstroth que estão no território há pouco mais de duas semanas. Ontem coloquei a segunda meia alça na maioria delas. Correndo normalmente o resto do fluxo da marcavala, assim como o do castanheiro, que vai iniciar-se dentro de cerca de 10 dias, conto colocar na maioria delas a terceira meia alça para a encherem.

6 comentários em “a regra não menos de 8”

  1. Mais um excelente artigo Eduardo, parabéns.
    Uma duvida, esses núcleos dadores presumo que estejam no mesmo apiário das colmeias receptoras. Alguma vez experimentou levar quadros de cria para um apiário diferente ? Se sim, qual a técnica para evitar quebras de temperatura na cria operculada ?

    Cumprimentos.
    Paulo

    1. Sim Paulo, estão no mesmo apiário. Nunca experimentei levar quadros com criação entre apiários. Creio que a criação operculada não sofrerá muito com algumas oscilações de temperatura. A criação aberta que possa estar presente é que se pode desidratar rapidamente. Se tivesse que fazê-lo envolvia o quadro ou quadros em panos ligeiramente húmidos.

  2. Boa noite , mestre Eduardo. Mais uma vez, outra novidade para mim . Sinceramente, não me lembraria disso. Por isso o meu obrigado, por esta partilha de conhecimento prático . No próximo ano irei ter isso em conta. Você é um poço sem fundo de experiências e conhecimentos. Para pessoas como eu, ávidos de aprender conhecimentos práticos no terreno é uma grande ajuda, por isso o meu grande obrigado.

  3. Bom dia Sr. Eduardo
    Qual é o nome científico da Marcavala.
    Não consegui encontrar esta planta no Google.
    Obrigado.
    Um Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.