tratar ou não de acordo com o recomendado: resultados

Um estudo suiço muito interessante avaliou os resultados obtidos no controlo dos ácaros Varroa num grupo de 30 apicultores, ao longo de dois anos e num total de 300 colónias, em função do grau de adesão destes apicultores ao regime recomendado. Como relatam os autores: “Inscrevemos 30 apicultores num estudo longitudinal em três cantões da Suíça e monitorámos o maneio e a saúde de suas colónias durante dois anos. Avaliámos o cumprimento das recomendações de controle de ácaros e medimos as taxas de infestação de V. destructor, índices de produtividade das colónias (tamanho do ninho e colheita de mel) e mortalidade de colónias em 300 colónias.

Vejamos primeiro qual é o regime recomendado: “Na Suíça, o regime de tratamento recomendado do V. destructor inclui três aplicações de acaricidas. A primeira aplicação de ácido fórmico imediatamente após a colheita do mel, entre 25 de julho e 10 de agosto, utiliza dispensadores de longa duração. Recomenda-se uma segunda aplicação entre 25 de agosto e 15 de setembro. Entre novembro e dezembro, quando as colónias param a criação, recomenda-se a aplicação de ácido oxálico. Se mais de cinco ácaros caírem por dia no fundo das colmeias quatro semanas após este tratamento, é necessária uma segunda aplicação de ácido oxálico (Apiservice, 2021). Vários dispensadores de ácido fórmico estão disponíveis no mercado suíço [Apidea, FAM, Liebig, MAQS ou Nassenheder PRO (Apiservice, 2021)]. Esses modelos apresentam eficácia semelhante (Imdorf et al., 2003), e os apicultores participantes eram livres para usar qualquer um deles. Da mesma forma, vários modos de aplicação de ácido oxálico igualmente eficazes estão disponíveis [pulverização, gotejamento ou sublimação (Rosenkranz et al., 2010; van der Steen e Vejsnæs, 2021)], e os apicultores também eram livres para escolher seu modo preferido.

Vejamos os critérios utilizados para classificar os apicultores de acordo com a sua adesão ao regime recomendado: “O número e o momento das aplicações de tratamento foram usados para determinar as categorias de conformidade. A categoria “conforme” incluiu apicultores que seguiram corretamente o conceito de controle (ou seja, que aplicaram o número correto de tratamentos no momento apropriado). A categoria “quase conforme” agrupou os apicultores que aplicaram o número necessário de tratamentos, mas em momentos inadequados. A categoria “não conforme” caracterizou os apicultores que aplicaram menos tratamentos do que o recomendado.

Os resultados observados durante os dois anos deste estudo longitudinal foram assim descritos pelos autores: “Observamos um aumento de 10 vezes no risco de morte da colónia quando os apicultores se desviaram ligeiramente do regime de tratamento recomendado em comparação com os apicultores que seguiram escrupulosamente o regime recomendado. O risco de morte da colónia aumentou 25 vezes em apiários com desvios substanciais das recomendações. Os desvios levaram ao aumento dos níveis de infestação de V. destructor antes do inverno, o que provavelmente foi responsável pela mortalidade da colónia. Após comunicar aos apicultores a aparente ligação entre baixa adesão e baixa sobrevivência da colónia no final do primeiro ano, observamos melhor adesão e sobrevivência das colónias no segundo ano.

Os dados (vale a pena olhar para eles com atenção):

O que retiro de essencial destes dados:

  • os apicultores que fizeram menos que os três tratamentos recomendados tiveram uma taxa de mortalidade de 55% do seu efectivo;
  • ao longo de 12 meses é necessário um regime de três tratamentos, mínimo, para manter um nível elevado de controlo da infestação pelo Varroa, isto mesmo quando são utilizados acaricidas para os quais não se conhecem ácaros resistentes (caso do fórmico e do oxálico);
  • os apicultores que fizeram os três tratamentos recomendados mas em momentos inadequados (atrasaram o segundo tratamento com o fórmico) tiveram uma taxa de mortalidade de 20% do seu efectivo;
  • mesmo quando se utiliza um regime de três tratamentos o timing em que os mesmos são realizados são determinantes para a sua eficácia;
  • os apicultores que seguiram rigorosamente o regime de três tratamentos preconizados e no timing preconizado tiveram uma taxa de mortalidade de 2% do seu efectivo;
  • o grau de adesão a um determinado regime de tratamento, desde que este esteja bem desenhado, é determinante de uma apicultura bem sucedida.

fonte: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0034528821003696

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.