mudam-se os tempos…

Nos últimos dois anos passei de 13 apiários para três. Esta evolução/involução do meu contexto está a modificar as minhas opções quanto aos desdobramentos/divisões. Se antes, e para evitar a drenagem de abelhas campeiras, optava por levar a(s) caixa(s) com a rainha e/ou órfãs para outro apiário, actualmente estou a deixar a caixa com a rainha e a segunda ou até a terceira caixa, resultantes das divisões, no mesmo apiário.

Colónias armazém com ninho e sobreninho são divididas em 4. Num núcleo coloco a rainha sempre que a encontro (cerca de 95% das vezes).
Podes esconder-te mas não podes fugir!
O quadro onde encontro a rainha é colocado num núcleo juntamente com mais um quadro ou dois, com mais alguma criação operculada e reservas.
Núcleo com quadro com rainha e um ou dois quadros com criação operculada/reservas e mais dois ou três quadros com cera laminada.
Núcleo com alimento suplementar não vá o diabo tecê-las, até porque vai perder campeiras nos próximos dois ou três dias!
Neste momento estou a colocar o núcleo com a rainha em cima da colmeia mãe com a entrada orientada no sentido inverso ao da entrada da colmeia (num post futuro conto explicar a razão para aqueles que ainda a não descortinaram).
Ninho de uma colmeia armazém depois de desdobrada.
Para além do núcleo onde coloquei a rainha e para além do ninho ilustrado em cima, dividi ainda esta colónia para estas duas caixas.
Porque razão haveria de trocar uma rainha com esta prova da sua qualidade, eliminando-a, por uma nova rainha sem provas nenhumas da sua qualidade?

Novos tempos… novas opções!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.