a colocação das primeiras meias-alças/alças meleiras da época

Ontem da parte da manhã, apesar do aguaceiro ligeiro, tive de marcar presença nos meus dois apiários a cotas mais baixas para partir as patilhas de 20 gaiolas com rainhas virgens introduzidas a 5 e 6 deste mês. Uma vez que tinha de lá passar, aproveitei e levei algumas meias-alças/alças meleiras, para colocar sobre algumas das poucas colmeias lusitanas que estão dedicadas à produção de mel.

Colocação das primeiras meias-alças/alças com quadros com cera puxada.

Contudo, antes da colocação destas caixas, que visam armazenar o néctar que espero que comece a ser trazido de forma abundante nas próximas semanas, fiz uma avaliação rápida da força das colónias para re-confirmar a justeza deste maneio.

Uma das colónias onde coloquei a primeira meia-alça/alça meleira.
O padrão de postura compacta desta colónia.
Um dos quadros com cera laminada colocado cerca de 48h antes.
Após cerca de 12 semanas de permanência no ninho da colónia, as tiras de Apivar foram retiradas momentos antes da colocação da meia-alça/alça meleira (por ex. nos EUA este maneio teria de ser feito 15 dias antes da colocação das alças meleiras. Felizmente na Europa seguiu-se outro protocolo experimental para testar a presença de resíduos de amitraz e seus metabolitos nos produtos da colmeia, e a nossa regulamentação é mais conforme à realidade que a dos EUA ).
Outra das colónias que foi alvo do mesmo maneio no dia de ontem.

O fluxo até agora tem sido frouxo. Não estou muito preocupado porque o histórico diz-me que ele se torna muito abundante a partir da terceira semana de abril. Assim o vento amaine um bocado para que os efeitos destes aguaceiros recentes perdurem por mais tempo e se expressem em nectários cheios, onde as abelhas recolherão a sua recompensa, assim como quem as ajudou a sobreviver até esta altura do ano.

4 comentários em “a colocação das primeiras meias-alças/alças meleiras da época”

    1. Boa tarde, Samuel! No último tratamento que realizei, com Apivar, não foi tão eficaz como habitualmente em cerca de 20% das colónias. Utilizei duas tiras por ninho na altura. Este ano decidi utilizar três seguindo uma reflexão do Bob Binnie, a este propósito. Diz ele que duas tiras lhe parecem insuficientes para colónias com muitas abelhas e criação. Obviamente que ele e eu estamos a especular sobre este aspecto, mas enquanto nos faltam estudos devidamente controlados vamos ajustando de acordo com o que vemos e reflectimos. A este propósito, um estudo recente sobre o tratamento com ácido oxálico sublimado mostra que o tratamento com 1 gr. é ineficaz, com dois gramas é eficaz e que com quatro gramas é muito eficaz. Um abraço!

      1. Como sigo o teu blog logo imaginei que fosse esse o pensamento eu não tenho tido problemas, para já continuo com duas. Obrigado e um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.