histórico de uma linha enxameadora que não enxameou em 2017

Aproveitando os recursos já disponíveis (neste caso o histórico das colmeias) para dar uma resposta possível à questão do Hugo Martins (outras respostas haverá… com mais tempo, mais disponibilidade mental e mais e melhor informação que continuo a recolher nos meus apiários acerca dos impactos do meu maneio na enxameação e produção deste ano), fica em baixo o histórico de uma colónia que eu tenho classificada como pertencente a uma linha enxameadora.

Contudo este ano ainda não enxameou!! Ano diferente sim e maneio diferente … sobretudo no timing das intervenções e no grau/intensidade em que este maneio é realizado. Neste momento tenho a profunda convicção que a eficácia das minhas operações para prevenir a enxameação, está fortemente dependente da conjugação criteriosa de 3 factores: condições ambientais, que são variáveis em cada ano que passa, a que associo o ajustamento do momento oportuno da intevenção (timing) e, muito importante, o grau/intensidade da minha intervenção (ver aqui).

Esteja certo ou errado nestas convicções um dado é pacífico neste momento na minha operação: a taxa de enxameação em 2017 não ultrapassou até agora os 3% (enxamearam até agora menos de 15 colónias). Nesta altura acredito que a grande maioria delas já saíram do modo de enxameação e que esta taxa não irá sofrer grandes alterações.

Nota: esta colónia está num apiário a cerca de 900 m de altitude. A floração mais nectarífera do local está agora a surgir no campo e vai-se prolongar por cerca de 2 meses.

513 Lusi Rainha de Abril de 2015 (filha da 322)

Linha de enxameação e dócil.

29-04: Vi mestreiros. Coloquei tabuleiro divisor. Rainha fica por cima. O ninho fica orfanizado com mestreiros fechados.

20-05: Vi mestreiros rotos no ninho. Coloquei 2ª ½ alça por debaixo do tabuleiro divisor. Por cima do tabuleiro divisor estão 5 Q de criação e 6 a 7 Q de abelhas. (T)

06-06: Desfiz tabuleiro divisor. Nova colmeia designada Nuc 58 tem 7 Q de criação. 9 a 10 Q de abelhas. Levei para […]. Coloquei 1ª ½ alça de ceras puxadas. Numerar 513.

14-06: Poucas abelhas na ½ alça.

22-06: Coloquei 2ª ½ alça de ceras puxadas.

07-07: Coloquei 3ª ½ alça de ceras intercaladas.

03-10: 3 Q de criação. 8 a 9 Q de abelhas. Não vi sinais de varroa. (T)

21-10: 9 a 10 Q de abelhas. Tem reservas.

17-11: 8 Q de abelhas. Boa de reservas.

08-03: 4 Q de criação. 8 Q de abelhas.

30-03: Coloquei sobreninho. (T)

13-04: Muita criação no sobreninho. Deu 2 Q. Coloquei 2 ceras laminadas no sobreninho. Coloquei ½ alça puxada sobre sobreninho.

02-05: Deu 1 Q de criação do sobreninho. Coloquei 1 cera laminada. ½ alça com algum mel. (T)

20-05: Rainha em postura no sobreninnho. Ninho desbloqueado. Tirei Q com criação. Coloquei cera laminada. 1/2 alça quase cheia. Colocar 2ª ½ alça.

9 thoughts on “histórico de uma linha enxameadora que não enxameou em 2017”

  1. Eduardo,
    Aqui nenhuma colmeia que tente enxamear dá mel.

    Há colmeias (de uma amigo), cerca de 20…que estão a enxamear pela 3a vez este ano. Esta semana vou trocar raínhas a um apiário que não abro há 10 semanas, e vou tranquilo de que apenas um par delas tenham saído.
    Na minha opinião a intensidade do fluxo de muitas zonas do interior ou zonas muito boas de litoral é que permitem que dê para que enxameiem e ainda assim produzam.

    Ainda esta semana abri 10 colmeias de un Sr. no interior Português. 9 em 10 haviam enxameado, 9 em 10 tinham 20/25kg de mel, apesar de abertas 2x durante a Primavera, tendo bastado em 2as delas com todo o mel já selado serem desdobradas e outras 2as com um pouco de cria no sobreninho, passar a raínha para baixo e meter a excluidora. Algo assim feito aqui teria resultado totalmente desastroso.

    Por isso nunca reproduzo qualquer abelha que tente sequer fazer realeiras…seria o meu haraquiri!

  2. Olá Eduardo

    Penso que neste artigo de gestão moderna cai bem um comentário de novas tecnologias, aplicadas à apicultura:
    1 – Balança “inteligente” ligada ao telefone ou computador. Permite saber, em tempo real, o peso da colmeia. Evita deslocamentos e dá indicações (alimentação, colocação de alças etc.), Permite outras aplicações : indicação das condições metereológicas no apiário (temperatura, pluviometria…), detecção anti-roubo etc.
    2 – Observação térmica da colmeia, com adaptação duma câmara térmica ao smartfone ou tablete.
    Com precisão de 0,1ºC, pode, ainda, saber-se o número de quadros com criação, sem abrir, ou isolar perdas térmicas no inverno.
    3 – Conhecer a subespécie de abelhas das colmeias. Com computador normal e um scanner, fotografar cerca de 20 asas de abelhas por colmeia e seguir as indicações de aplicação do programa.
    4 – Fichas de gestão do apiário, com evolução por acesso a flash-códigos agrafados nas colmeias. Podem,ainda, programar-se alertas e chamadas para próximas visitas ou acções de criação de rainhas.
    5 – Aparelho foto-numérico noturno de detecção de movimentos. Colocado à entrada do apiário, permite ver na carta memória as fotografias tiradas durante a noite em caso de actividade de animal ou humana .
    6 – Sensor anti-roubo na colmeia.
    Há vários sistemas. Uns fixam-se nos quadros outros na colmeia. Devem colocar-se sempre da forma mais discreta.
    – Estão em curso investigações para equipar as colmeias com sondas que permitam detectar sintomas de enxameação.
    Nota: Para muito mais variada informação pesquisar: Apiservices
    Cumprimentos

  3. Boa Noite Eduardo!

    Estive a analisar o histórico da colmeia que identificou e pude constatar duas coisas:
    -primeira é que o seu maneio não é muito diferente do meu;
    -segunda é a de que também no seu caso as rainhas teimam em subir aos sobreninhos e ficar por lá (acho que no meu caso ainda é pior por causa de usar a reversível) o que obriga a esforço extra no desbloqueio das duas câmaras de criação.

    Este ano e depois de já termos passado por uma onde de calor que fez sérios estragos no nosso país e não só na apicultura (ainda hoje me chegou aos ouvidos que um apicultor perdeu cerca de 120 colmeias porque as alças do mel pura e simplesmente derreteram com o calor) estou perfeitamente convicto que a enxameação este ano foi condicionada em mais de 99% pelo factor clima.
    Aconteceu-me até uma situação que não vem descrita nos livros: ao tentar apanhar um enxame acabado de sair de uma colmeia porque eu vi-o a sair, quando cheguei lá com a luva para o bater para dentro da caixa, agarram-se a luva com uma fúria nunca por mim assistida e fui sem dúvida ferrado mais de uma dúzia de vezes.

    Contudo para mim está a chegar o meu factor de seleção na apicultura. A capacidade de as abelhas resistirem ao verão na minha zona sem grande necessidade de intervenção minha para além dos tratamentos da varroa.
    Espero que a cresta lhe esteja a correr bem caso já a tenha iniciado!
    Abraços
    Hugo

    1. Boa noite Hugo
      Concordo que as condicionantes de natureza climatérica explicam uma boa parte do que vemos acontecer nas nossas colmeias. Procuro não as esquecer nos meus posts.
      Um abraço.

  4. boa noite admin
    queria saber se a abelha rainha confere os favos que esta alperculado de mel ,para por ovos ,e se ela confere andando em circulo no favo alperculado inteiro…
    um favo a menos de cria no ninho faz diferenca na postura da abelha rainha por dia….

    obrigado
    ate mais….

  5. boa noite Admin
    a abelha rainha procura lugar para por ovos nos favos de mel alperculados ,

    ela percorre no favo por inteiro em circulo na procura ,

    na onde tem mel ela passa direto e vai nas partes de cria …

    obrigado…

    1. Boa noite alessandro
      Segundo alguns apicultores que têm colmeias de observação em suas casas, parece serem as obreiras a carrearem a rainha para este ou aquele quadro para aí fazer a postura.

  6. boa tarde Admin
    a abelha rainha engorda quando ela recebe mais alimentacao pelas nutrizes,porque ela engorda,
    alguns apicultores falam que a rainha quanto mais ovos e espermatozoide do zangao a rainha tiver mais ela tem tendencia de postura.
    obrigado…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *