Vespa velutina: distância e tempo de vôo quando caça

Um aspecto por responder e revelador do pouco conhecimento que ainda rodeia a V. velutina e seus comportamentos específicos, relaciona-se com a distância e duração do vôo ao ninho quando caça outros insectos (abelhas e outros). Uma investigação de um francês, no âmbito da sua tese de doutoramento, traz alguma luz e ciência a este assunto.

Fig. 1: V. velutina caçando uma abelha melífera

Homing (regresso ao ninho) é um comportamento crítico e central para os insectos forrageadores e representa o limite superior da distância que um indivíduo é capaz de viajar. No caso de espécies invasoras e pragas, esse parâmetro deve ser levado em consideração nos modelos de impacto. A habilidade de orientação e a atividade do ninho foram aqui avaliadas pela primeira vez na  V. velutina usando a tecnologia RFID num ninho em experiência de semi-campo [com o ninho colocado num local determinado pelo investigador].
A habilidade de homing de V. velutina diminui gradualmente com a distância de libertação: a maioria dos indivíduos voltou ao ninho quando libertados até 500 m, metade deles retornaram ao ninho quando libertados até 2000 m e menos de um quarto foram recuperados quando libertados a mais de 3000 m. Esses dados mostram que as obreiras da V. velutina podem encontrar o caminho de volta a vários quilómetros de distância. No entanto, seu alcance forrageiro é provavelmente menor que 2000 m, provavelmente num raio ao redor do ninho de 500 m. Estes resultados são congruentes com os dados disponíveis para outras Vespa sp. […]

Assim, a duração de cada viagem pode ser quantificada com precisão com a tecnologia RFID: 95% dos vôos duraram menos de 1 hora. As velocidades de vôo das obreiras de V. velutina são até agora desconhecidas, mas com a V. crabro, foi estimado em 1.86m/s (isto é, 6.7 km/h) (Spiewok & Schmolz 2005). Se ambas as espécies voam a uma velocidade similar e considerando que a duração média da viagem é de 15 min., as obreiras de V. velutina provavelmente alimentam-se a menos de 1000 m do seu ninho. Além disso, a predação inclui capturar e processar a presa e depois voltar para o ninho com uma carga adicional que afeta a velocidade de vôo, portanto elas provavelmente alimentam-se num perímetro de 500-800m de diâmetro. Isto significa que se a predação é detectada nas colmeias, o ninho de V. velutina deve ser procurado dentro de um raio de pelo menos 1000 m.”

No que me diz respeito estes dados são muito úteis para uma preparação consequente de cavalos de tróia, nomeadamente quanto tempo deve a mensageira sobreviver após receber a mensagem, para que chegue à morada desejada e a entregue em boas condições.

Actualização: neste artigo, https://www.nature.com/articles/s42003-018-0092-9, os dados disponíveis com recurso à tecnologia de radio-telemetria, indicam uma distância mínima do local de caça ao ninho de 195 m, uma distância máxima de 1331 m (distância média de 529 m) e uma velocidade de vôo de 2 a 4 m/s.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.