os impactos económicos, ambientais e sociais da vespa velutina em França

“Os desafios relacionados com o controlo deste predador [vespa velutina] são de vária ordem:

(i) económico: os serviços de polinização de abelhas são estimados em 1,5 mil milhões de euros/ano e a perda direta dos apicultores é calculada ultrapassar os 100 milhões de euros/ano, ambos apenas para a França;

(ii) ambiental: danos às abelhas, polinizadores e fauna endémica de insectos; e

(iii) saúde pública: vários óbitos/ano, embora o número de casos não pareça adequar-se completamente à expansão de V. velutina (de Haro et al., 2010; Viriot, Sinno-Tellier & de Haro, 2015).

Se hoje é ilusório tentar eliminar esta espécie, é claro que um controle focado poderá reduzir sua expansão e, portanto, seu impacto. Atualmente, não existem estudos disponíveis sobre o impacto da predação por V. velutina na atividade das colónias de abelhas europeias. No entanto, um estudo realizado na China mostrou que a presença deste predador poderá reduzir a atividade de forrageamento até 79% (Tan et al., 2013). […]

[…] o controle atual do vespão asiático é baseado na localização visual e supressão dos ninhos. Este controlo é limitado porque a sua localização preferida, no alto das árvores e baixa visibilidade na primavera-verão devido à folhagem, de modo que menos de 5% do ninho de vespas são avistados (Robinet, Suppo, Darrouzet e Diekotter, 2017). Esse controle direcionado deve limitar fortemente a predação exercida pela V. velutina em apiários e em locais sensíveis (escolas, mercados de peixe/carne, praias etc.) e, portanto, limitar seu impacto económico e social.[…]

Apesar das advertências da comunidade científica (Salles, 2016), as autoridades francesas e europeias não parecem muito preocupadas com a progressão deste predador (Santarém, 2016). Apenas alguns programas de pesquisa sobre o controle de V. velutina (Decante, 2015; Milanesio et al., 2016) (IRBI-Universidade de Tours, França; Universidade de Turim, Itália; INRA- Bordeaux, França; MNHN-Paris, França ) e algumas iniciativas institucionais locais (notavelmente o “Plano Frelon 06” do Conselho de Departamento dos Alpes Marítimos) com o objetivo de localizar e destruir ninhos foram financiadas até agora. Enquanto isso, nossos colegas da Nova Zelândia lançaram grandes projectos de pesquisa com o objectivo de reduzir a população de V. germanica e V. vulgaris (Barlow et al., 1998; Beggs et al., 2008; Fan et al., 2016; Fan et al., 2016; Ward, 2014) , cuja ameaça provavelmente não é tão grande. Isso enfatiza o facto de que investimentos sérios em pesquisa devem ser feitos rapidamente.” (sublinhado meu)

fonte: Options for the biological and physical control of Vespa velutina nigrithorax (Hym.: Vespidae) in Europe: A review

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.