monitorização da taxa de infestação por varroa: o tabuleiro/cartolina pegajosa

Uma vez mais socorro-me de Randy Oliver para analisar as virtudes e insuficiências do tabuleiro/cartolina pegajosa (stickyboards) e da lavagem de abelhas com álcool/detergente  para monitorizar a taxa de infestação de colónias de abelhas pelo ácaro varroa.

  • “Os tabuleiros/cartolinas pegajosas
    Muitos apicultores usam o tabuleiro/cartolina pegajosa (stickyboards) porque não precisam de abrir a colmeia, o que é uma vantagem. Mas se tem mais de 40 anos, então você tem que lidar com o fato de que é difícil e entediante discriminar os ácaros no meio do lixo da colmeia, e mais ainda manter o total de ácaros contados sem perder alguns ou contar duas vezes os mesmos (Fig. 1). Além disso, a contagem dos ácaros no tabuleiro/cartolina pegajosa deve ser ajustada não só à força da colónia, mas também à época do ano e à quantidade de criação presente para avaliar a maior ou menor proximidade com o limiar para o tratamento .

Fig. 1: Contar ácaros entre o lixo da colmeia no tabuleiro/cartolinas pegajosa é um processo entediante que requer boa visão ou ampliação suplementar. A queda natural do ácaro é um indicador indireto da taxa de infestação do ácaro, uma vez que a contagem é amplamente dependente da quantidade de criação emergente no primeiro dia. Esta parte do tabuleiro/cartolina pegajosa mostra claramente cinco ácaros adultos, um adulto parcialmente escondido por um pedaço de lixo de colmeia e uma concha parcial de ácaro.

Mas o que eu realmente queria saber era o quão consistentemente a queda natural dos ácaro refletia a taxa real de infestação das abelhas adultas na colmeia?

[…] Observei que os níveis de ácaros caídos aumentaram e diminuíram consideravelmente de um dia para o outro, o que foi surpreendente, pois acho que é seguro assumir que a taxa de infestação de ácaros do apiário não varia muito de um dia para o outro. Isso levantou uma questão na minha mente quanto à consistência das contagens para cada colmeia individual, o que me diria o quanto eu poderia confiar numa única contagem. Eu normalizei os dados e obtive o gráfico abaixo (Fig. 2).

Fig. 2: Tabuleiro/cartolina pegajosa com os dados de seis colmeias ao longo do tempo. Note que em qualquer dia em particular, a contagem pode subir ou descer facilmente multiplicado um fator de dois!

Claramente, a queda natural de ácaros é altamente variável de um dia para o outro. Então eu me perguntei se o mesmo se aplicaria a uma lavagem de abelhas com álcool.

  • Queda natural ácaros vs. lavagem com álcool
    Por sorte, eu também havia coletado dados com lavagens com álcool de ½ xícara de abelhas das mesmas colónias, às vezes nos mesmos dias em que obtinha contagens nos tabuleiros/cartolinas pegajosas(fig. 3).

Fig.3: Lavagens com álcool para as mesmas colmeias e nas mesmas datas do gráfico anterior. Observe algumas coisas: a variabilidade reduzida de lavagens com álcool e que as contagens através dos dois métodos para determinar a taxa de infestação de ácaros não correspondem para cada colónia (a cor de cada colmeia é igual nos dois gráficos).

Do ponto de vista prático, a questão mais importante é qual o método que reflete mais de perto a taxa real de infestação na colmeia. Como a lavagem com álcool é uma medida direta do número real de ácaros por 100 abelhas, provavelmente terá maior relevância biológica (e prática). Então vamos comparar os dois para ter um conjunto de dados completo (Fig. 4).

Fig. 4: Comparações da queda natural de ácaros através dos tabuleiros/cartolinas pegajosas e lavagem de álcool de ½ xícara de abelhas no final de julho e início de agosto. O que é alarmante é a contagem da queda natural de ácaros na área sombreada rosa no fundo, na qual a queda de ácaros naturais subestima substancialmente uma taxa de infestação grave na colmeia (mais de 5 ácaros / 100 abelhas). Menos preocupantes eram as contagens nos tabuleiros/cartolinas pegajosas na área azul, o que superestimava o problema.

Como você pode ver acima, os dois métodos de monitorização seguiram a mesma tendência geral – a queda de ácaros naturais tendeu a subir à medida que a taxa real de infestação de ácaros aumentou. O problema é que, numa percentagem razoável dos casos, a queda natural não refletiu o surgimento de uma séria infestação de ácaros (acima dos 5%)!

  • Aplicação prática: perdi a fé na queda natural de ácaros como meio de monitorar a infestação pelos ácaros varroa. É útil quando usado para determinar se um varroacida promove uma queda rápida no seu número, mas não tanto para indicar o nível biologicamente relevante de infestação pelos ácaros. Se alguém usa tabuleiros/cartolinas pegajosas como único método de monitorização, sugiro que faça a contagem ao longo de um largo período de tempo.”

fonte: http://scientificbeekeeping.com/mite-management-update-2013/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.