equalização de colónias de abelhas

A equalização de colmeias permite atingir vários objectivos em simultâneo, e era uma das ferramentas muito utilizada pelo irmão Adam, na abadia de Buckfast, para atingir elevadas produções nas suas colmeias.

imgres

Fig.1 — “Brother” Adam a inspeccionar uma colmeia, com a velha abadia de Buckfast ao fundo

De uma forma sumária, a equalização de colónias de abelhas consiste em fortalecer as colmeias mais despovoadas à saída do inverno, fornecendo-lhes quadros com criação operculada prestes a nascer ou abelhas, sobretudo abelhas jovens ou ambos os recursos simultaneamente.

Que colmeias fortalecer? Como já foi referido são as colmeias mais despovoadas. Contudo, nem todas as colmeias justificam este esforço e este custo. Só faço esta equalização em colmeias saudáveis, com rainhas com um bom padrão de postura e com uma razoável massa crítica, isto é, com 4 a 5 quadros bem cobertos por abelhas.

Nos meus apiários da beira alta, no final do inverno, ou seja, na primeira quinzena de março, uma colónia com 7 a 8 ou mais quadros cobertos com abelhas e pelo menos 4 quadros com boas áreas de criação é considerada uma colónia forte. Pelo contrário, uma colónia com 4 a 5 quadros de abelhas é classificada como uma colmeia susceptível de ser “apoiada”.

A partir de meados de abril, nas terras baixas da beira alta onde tenho parte dos apiários, uma colónia forte terá 10 a 15 quadros cobertos com abelhas e, pelo menos, seis quadros repletos de criação, com muitas forrageiras a fazer os seus vôos e a fazer crescer as reservas de pólen e de néctar. Pelo contrário, uma colónia com 6 a 8 quadros coberto com abelhas e 3 a 4 quadros de criação é classificada como uma colmeia susceptível de ser “apoiada”.

imgres-1

Fig.2 — Colmeia forte que pode ser utilizada como doadora

Vantagens da equalização para o apicultor

  • Obtém colónias mais ou menos iguais em força para o fluxo de néctar;
  • Estimula as colónias menos povoadas e não afeta as colónias doadoras, pois estas rapidamente recuperam;
  • É um método eficaz de prevenção da enxameação, porque reduz o congestionamento nos enxames mais populosos;
  • Contribui para uma maior produção de mel;
  • Contribui para que todas as colónias se tornem produtivas;
  • Minimiza a possibilidade de pilhagem no apiário.

Desvantagens da equalização

  • Pode transmitir doenças e ácaros entre colónias no apiário;
  • Pode causar esfriamento da criação se não for feita com cuidado.

O apicultor deve ter um grande cuidado para não distribuir quadros com criação e abelhas a partir de colónias doentes. Deve verificar sempre se as colónias não apresentam sinais de doença antes da equalização.  A concluir, deve ter cuidado para não colocar muita criação em colónias fracas, pois estas não conseguirão dispor de abelhas em número suficiente para manter a criação quente durante as noites mais frias, ainda frequentes na primeira metade da primavera no interior do nosso país.

5 thoughts on “equalização de colónias de abelhas”

  1. Olá Eduardo.
    Só utilizo este método da equalização, em colónias que vejo que têm pernas para andar, mas em época com temperaturas mais altas, em situações contrárias, utilizo a troca de pouso, evitando abrir outras colmeias.
    Aqui o tempo está de vento, chuva com granizo e frio. Tempo bom para estar em casa, e chatear-te um pouco.
    Abraço.

    1. Por aqui por Coimbra o tempo está na mesma. A minha varanda tinha 2 a 3 mm de granizo. Na minha terra na beira disseram-me que hoje está a nevar por lá.
      Será o inverno a despedir-se?

      Trocar o pouso de colmeias também é um dos procedimentos utilizados para equalizar colmeias. : )
      Ainda farei mais um post, pelo menos, com a descrição de alguns procedimentos para fazer a equalização de colmeias.
      Dino quando o tédio aumentar continua a escrever umas linhas que seguramente todos ficamos a ganhar.

  2. Boa tarde Eduardo.
    Introduzir quadros com criação operculada ou aberta numa colmeia para a fortalecer sim, tudo bem.
    Introduzir quadro com criação, aberta e/ou operculada mais abelhas, que técnica utiliza para que estas abelhas sejam integradas na “nova familia” de forma pacífica?
    Mais uma vez, cumprimentos e tudo de bom.

    1. Viva Martinho
      A técnica que utilizo mais frequentemente é borrifar o quadro que introduzo e pelo menos os quadros adjacentes da colmeia receptora e o topo dos restantes quadros com um pouco de água açucarada a que juntei umas gotas de essência de baunilha (a mim cheira-me muito bem esta mistura).

      Quando não levo esta mistura preparada, coloco uma gotas de essência de eucalipto ou canela no topo dos quadros. Tem um cheiro muito intenso. Ando sempre com um frasquinho na pick-up para qualquer situação não prevista.
      Cumprimentos!

  3. Boa Noite.
    O meu mestre, quando queria juntar duas colónias, no dia anterior metia dentro de cada colmeias meia bola de naftalina.
    Este tua dica, é melhor.
    Mas quando não temos cão casamos com gato!
    Cumprimentos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *