colmeias de poliestireno denso

As colmeias de poliestireno denso já se utilizam há várias décadas na Europa central, e nos últimos vintes anos tem-se assistido à sua massificação.

blog_Pre-Flipped-Hive-150x150

Fig. 1 — Colmeia de poliestireno

Contudo a Península Ibérica tem resistido, como uma célebre aldeia gaulesa resistiu ao avanço do Império Romano, à invasão deste tipo de colmeias. Desconheço quais as razões, mas não me custa a crer que entre outras esteja o seu preço três vezes mais elevado que o de uma colmeia em madeira, assim como o desconhecimento por parte dos apicultores de algumas das vantagens apontadas pelos que as utilizam há anos.

Estes apicultores referem que as colmeias de poliestireno trazem um conjunto de vantagens à apicultura quando comparadas com a tradicionais colmeias fabricadas em madeira:

  • as colónias, em regra, começam a desenvolver-se 2 a 3 semanas antes;
  • as abelhas são mais madrugadores e começam a sair da colmeia mais cedo no dia;
  • as colónias tornam-se mais produtivas porque aproveitam melhor os fluxos de néctar (alguns referem aumentos de produtividade na ordem dos 25%).

 

As colmeias construídas em poliestireno são colmeias que pelo seu maior coeficiente de isolamento (várias vezes superior ao da madeira) também apresentam vantagens na criação de novos enxames e rainhas:

  • ­o desenvolvimento mais temporão dos enxames significa uma temporada mais longa para fazer divisões de enxames e criar rainhas;
  • o maior isolamento do poliestireno quando comparado com a madeira significa que não existem quadros frios nas zonas mais  laterais das colmeias, permitindo à rainha fazer postura nestes quadros, e consequentemente permite ao apicultor fazer mais divisões do enxame mãe.

O coeficiente de isolamento mais elevado do poliestireno permite aumentos importantes na força de trabalho e consequentemente na produção de mel. Nos dias mais quentes as abelhas dispendem menos tempo e energia a manter a colmeia fresca, passando a estar disponíveis durante mais horas para a colecta do néctar. No inverno estas colmeias permitem à colónia permanecer mais aquecida com um consumo mais baixo de calorias, necessitando de menor quantidade de reservas para passarem o inverno.

Os apicultores do centro da europa referem que as colmeias de poliestireno permitem à colónia passar o inverno num ambiente interno menos húmido, mais seco e saudável. Por fim referem que as colmeias feitas neste material duram anos e anos, com pouca ou nenhuma manutenção.

Não tenho experiência com estas colmeias de poliestireno de alta densidade mas espero testar em breve algumas colmeias fabricadas pela Paradise Honey e pela Lyson.

search

Fig. 2 — Colmeia de poliestireno da Paradise Honey

Se alguém já experimentou este tipo de colmeia, porque não aproveitar para fazer um comentário com a sua avaliação acerca da performance destas colmeias em território luso.

7 thoughts on “colmeias de poliestireno denso”

  1. Olá Eduardo.
    Os meus parabéns pelo teu blog. e destes que precisamos para formatar e tirar ideais em relação ao vicio de que mais gostamos, AS ABELHAS.
    Em relação as colmeias de poliestireno , são aquelas de que me falastes, parecem muito com as colmeias alemãs, os nossos quadros servem ou temos que mudar tudo.
    E em relação ao preço, compensa.
    Abraço dino.

    1. Obrigado Dino!

      As colmeias de poliestireno denso representam cerca de 80% das colmeias nos países do norte e do centro da Europa. Na Alemanha estão muito difundidas. No Reino Unido estão também a conquistar os apicultores. Li o relato de um apicultor do Reino Unido, que tem uma operação com 2000 colmeias, já converteu 1000 para poliestireno e que está muito satisfeito.

      Os modelos disponíveis para Portugal são os Langstroth e Dadant. Levanta inegavelmente problemas de conversão para quem está a operar com Lusitanas e/ou Reversíveis.

      Se o preço compensa? É a questão de 1 milhão de euros. Se de facto as colónias forem mais produtivas na ordem dos 25%, seja no mel, seja na produção de núcleos e se permitirem poupança na alimentação de outono-inverno julgo que a médio prazo poderão justificar o investimento inicial. Eu vou adquirir uma meia-dúzia delas para fazer a comparação. Dentro de dois a três anos já terei algumas conclusões.

      Se alguém em Portugal já tem alguns dados sólidos seria interessante conhecê-los.

      A Golden Bee, em Portugal, é representante de dois importantes fabricantes europeus destas colmeias em poliestireno denso.

      1. Bom dia,
        Eu tenho colmeias de poliestireno comercializadas pela Apisantos, mas não estou muito satisfeito, pois o seu manuseamento é bastante difícil. É complicado introduzir o formão para levantar os quadros, e a colmeia apresenta uns reforços em chapa na parte superior, que se não estivermos com atenção, saem com facilidade. Neste caso, acho que o fabricante errou nas medidas adoptadas. A colmeia precisa de mais 5 mm para cada lado.
        Relativamente ao seu desempenho, em termos de produção, não notei diferenças para as de madeira (também sou um nano apicultor com poucos conhecimentos), mas no inverno, praticamente não existe condensação, o que é muito importante. Outro factor a favor, são os estrados sanitários, que vêm de série. Facilitam muito a limpeza da colmeia, e a varroa fica toda lá após os tratamentos.
        Neste momento, e enquanto não encontrar um modelo mais fácil de manusear e mais fiável, vou continuar a comprar colmeias de madeira, mas reconheço algumas vantagens nos modelos de poliestireno.

        1. Maurício muito obrigado pelo teu testemunho. Julgo que o modelo das tuas colmeias é Lusitana. Foram fabricadas em Portugal? Têm marca?
          Tens alguma da marca Paradise Honey ou Lyson? A minha questão surge porque são estas as marcas das colmeias que pretendo ensaiar, e talvez alguns detalhes e diferenças na fabricação, de marca para marca, possa fazer diferenças.
          Um abraço!

          1. As minhas são lusitanas, e vêm com marca “Apisantos”. Suponho que alguém as fabrique para eles. Além de colmeias do tipo lusitana, também têm langstroth. Outro ponto relevante, é o facto de ele também comercializarem as alças no mesmo material, mas não gostei, pois com o manuseamento danificam-se com facilidade.
            Em suma, a ideia deles foi boa, mas as colmeias necessitam de melhoramentos, que pelo que sei, ainda não foram introduzidos. O acabamento final das colmeias é com tinta de areia. Têm resistido, mas as rampas de voo, já estão sem tinta.

  2. Olá Karina
    Se não estou errado a empresa Golden Bee tem disponível para o mercado português colmeias em poliestireno denso.
    Cumprimentos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *