o risco de um inseticida neonicotinóide no voo de retorno da abelha à colmeia depende das condições climáticas e da infestação pelo Varroa

Nota prévia: Porque estas coisas são sempre um bocado mais complexas, intrincadas, interligadas, multideterminadas do que as revistas de uma sala de espera de consultório de médico ou cabeleireira as pintam, os dados desta publicação científica, já de 2019, ajudam-nos a fazer uma apreciação mais fina.

  • “Destaques
  • A temperatura e saúde da colónia modulam o efeito de insecticidas nas falhas de regresso à colmeia [homing] nas abelhas .
  • Ácaros de varroa aumentam o número de falhas de regresso à colmeia [homing] induzido pelo inseticida thiamethoxam.
  • As baixas temperaturas agravam o número de falhas de regresso à colmeia [homing] induzido pelo inseticida.
  • A avaliação de risco de pesticidas deve incluir temperatura e ácaros Varroa como covariáveis.

Fig. 1: Sumário gráfico do artigo

“O paradigma para todos os bioensaios toxicológicos na avaliação de risco de pesticidas reflete o princípio de que as condições experimentais devem ser controladas para evitar quaisquer outros fatores que possam afetar as medições finais. Como as colónias de abelhas podem ser frequentemente expostas a bio-agressores em condições reais, muitas vezes concomitantemente com pesticidas, a coexposição a pesticidas / bio-agressores está se tornando uma preocupação para as autoridades reguladoras. Nós investigámos os efeitos do inseticida neonicotinóide thiamethoxam sobre o desempenho no comportamento de retorno à colmeia [homing] de forrageadoras de colónias diferenciadas pelo estado de saúde (infestação com ácaros Varroa, parasitação por microsporídeos Nosema spp. e Vírus das Asas Deformadas). […] Nossos resultados mostraram que o ácaro Varroa aumenta a falha de homing causada pelo inseticida, enquanto as altas temperaturas reduzem as falhas no homing induzidas pelo inseticida estudado. […] Nossos resultados sugerem que o estado de saúde das colónias de abelhas e o contexto climático deve ser considerados para uma avaliação completa dos riscos.”

fonte: https://www.researchgate.net/publication/331293266_Hazard_of_a_neonicotinoid_insecticide_on_the_homing_flight_of_the_honeybee_depends_on_climatic_conditions_and_Varroa_infestation

Nota final: Um dos principais riscos para as abelhas associado à utilização de alguns insecticidas neonicotinóides, e que tem sido referido por alguma literatura científica, é a indução de desorientação e falha no vôo de regresso das abelhas à colmeia (em inglês homing), que conduz paulatinamente a uma debilitação na população da colónia. Este estudo, recentemente publicado, conclui que a taxa de varoose e a temperatura ambiente são co-variáveis a considerar na avaliação dos efeitos do inseticida thiamethoxam sobre este comportamento das abelhas. Pessoalmente não me surpreende que assim seja, conhecendo o trabalho de Samuel Ramsey sobre o efeito mais deletério que se supunha provocado pela alimentação do varroa no corpo gordo das abelhas adultas. Os insecticidas neonicotinoides não devem deixar de ser vistos como parte da ameaça, mas este estudo ajuda-nos a colocar em perspectiva o grau de ameaça que eles podem representar, a compreender melhor a inconsistência nos resultados dos estudos até agora realizados a este propósito, e a enfatizar uma vez mais a necessidade imperiosa de ter sempre taxas de infestação pelo varroa muito baixas nas nossas colmeias.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.