glifosato: um perigo para as abelhas?

Para alguns (apicultores e outros),  o glifosato é um produto que está associado de forma inquestionável com a morte/desaparecimento das abelhas. Do que me vou apercebendo esta ideia é basicamente sustentada na leitura dos títulos e artigos sensacionalistas e simplistas publicados  em jornais e revistas, a que se soma o efeito de megafone destas notícias nas redes sociais.

Para alguns outros, tão só basta saber que ele (glifosato) faz parte dos químicos de síntese, para estar irremediavelmente condenado. O viés perceptivo dos indivíduos deste grupo mete tudo o que termine em “cida” no mesmo saco: insecticidas e herbicidas é tudo igual. A este respeito fica o esclarecimento:

Enquanto muitos inseticidas podem de fato prejudicar uma variedade de insetos, a grande diferença é que o glifosato não é um inseticida, mas um herbicida.  A enzima alvo particular do glifosato não existe nos animais, o que significa que não interfere com a nossa síntese de aminoácidos e tem uma toxicidade geralmente muito baixa fora das plantas .

Para outros, é tão só necessário saber que o produto é fabricado pela Monsanto/Bayer para estar sumariamente condenado, como um produto que faz parte de um grande plano destas empresas para erradicar os polinizadores naturais da face da terra.

Finalmente para outros, os dados veiculados por alguns (poucos) estudos experimentais, ainda que com diversas fragilidades metodológicas, são mais que suficientes para elevar ao altar de “verdade” universal as conclusões  ali apresentadas. Entre outros destaco os estudos conduzidos na Argentina por W. Farina e, mais recentemente, por Erick V. S. Motta. Estes dois estudos em particular criaram um meme acerca da correlação* entre o glifosato e o desaparecimento das abelhas.

Para os interessados em questionarem de forma mais aprofundada e esclarecida o efeito manipulador deste meme, para os interessados em conhecer com maior detalhe as fragilidades e contradições destes dois estudos e que sustentam a crença “o glifosato está a matar as nossas abelhas” deixo este link: https://thoughtscapism.com/2018/06/11/no-glyphosate-is-not-a-threat-to-bees/

O que está verdadeiramente a matar as abelhas? No meu caso a legislação absurda quanto à comercialização dos produtos da colmeia, as não-ajudas directas ao sector, o assobiar para o lado no que respeita ao controlo inteligente de pragas (em especial a velutina). Pergunto: quantos deixaram a apicultura por causa do glifosato? Pergunto: quantos deixaram a apicultura por causa da inexistência de ajudas directas ao sector?

Enquanto andamos distraídos com o glifosato em encontros de apicultores, formações, simpósios, fóruns,… assistimos de forma mais ou menos gradual e silenciosa à crescente falta de sustentabilidade da actividade apícola, este sim o aspecto mais crítico e que maior perigo apresenta para a sobrevivência das abelhas.

*um dos aspectos mais básicos da metodologia de investigação científica, mas também dos mais esquecidos, é o facto de as correlações entre variáveis/fenómenos não serem suficientes para estabelecer relações de causalidade.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.